China pede mais cooperação contra hackers

hacked

O governo chinês voltou a negar a responsabilidade pelos ataques informáticos a jornais e empresas nos EUA. As autoridades chinesas pedem maior cooperação contra os ataques e dizem também ter sido vítimas.

Responsáveis chineses consideram que as acusações de o país estar a patrocinar ataques informáticos ao Ocidente, nomeadamente aos EUA, são baseados em factos não provados e não passam de uma forma de denegrir a reputação da China.O ministro dos Negócios Estrangeiros Yang Jiechi afirma que a «comunidade internacional está interligada na Internet, portanto o ciberespaço precisa de regras e cooperação e não de guerra».

Este responsável chinês revelou ainda que há empresas chinesas a serem alvo de ataques também, provenientes dos EUA, mas que é necessário os países todos unirem os seus esforços e pararem com as acusações mútuas.Um relatório da empresa de segurança informática Madiant estabelece uma ligação entre os ataques a empresas dos EUA, grupos de hackers chineses e aquele governo asiático.

O endereço IP de onde vieram os ataques foi relacionado com a sede do Partido Popular da China. Estes ataques terão vitimado 141 empresas no total, das quais 115 seriam dos EUA.