Eleições à vista?

Pedro Passos Coelho

O executivo de Pedro Passos Coelho fez ontem horas extraordinárias. Já depois do rotundo falhanço da ronda negocial com os sindicatos representativos da função pública, houve nova reunião do Conselho de Ministros que serviu para aprovar algumas crueldades ainda em atraso e que poriam em causa a discussão do orçamento retificativo que hoje vai ser discutido na Assembleia da República.

O Governo aprovou a alteração do período normal de trabalho no Estado, de 35 para 40 horas semanais, e o sistema de requalificação, que substitui a mobilidade especial e passa prever a possibilidade de despedimentos.O Executivo reconhece que o caminho tem sido “árduo”, mas espera que o processo de racionalização do Estado permita libertar recursos destinados a valorizar e reconhecer o valor dos seus trabalhadores.

Será a instalação da meritocracia?