Rede social previne cyberbulliyng.

Segurança na Internet 1

A rede social letã Ask está sobre escrutínio da opinião pública do Reino Unido depois de uma adolescente utilizadora se ter suicidado e, segundo o pai, esse suicídio se ter ficado a dever a comentários mais cruéis deixados como comentários a perguntas por ela colocadas  naquela rede social. Aos comentários “morre, toda a gente ficará feliz”, “faz-nos um favor e mata-te” ou “ninguém se importa se morreres, cretina”, Hannah Smith, de 14 anos, respondeu positivamente enforcando-se no quarto.

Em entrevista à BBC, o pai de Hannah, David Smith diz estar convencido que o site está no caminho certo, pelo anúncio de que iriam contratar mais pessoas para rever os comentários que os adolescentes dão uns aos outros para evitar este tipo de crueldades e as respetivas consequências nefastas, como a protagonizada pela família Smith. “O Governo precisa de criar nova regulação para que as pessoas estejam seguras na Internet”.

Alguma coisa iria muito mal na família Smith para que a pequena Hannah assumisse um comentário como uma coisa preponderante na sua vida. Valores, talvez?