iPhone só funciona com dedos de pessoas vivas

O mais recente modelo da Apple, o iPhone 5S, vem equipado com uma tecnologia capaz de ler impressões digitais do utilizador. No entanto, esta novidade preocupou os utilizadores com o facto de que alguns ladrões pudessem chegar a cortar o dedo ás vítimas, para aceder ao smartphone.

Mas para contrariar essa preocupação, especialistas em segurança biométrica já vieram a público dizer que isso era impossível.

No evento de revelação dos novos iPhones do passado dia 10 de setembro, foi anunciado que o Touch ID do iPhone utilizava uma frequência de rádio para analisar as diferentes camadas da sua pele. E, segundo os especialistas, é necessário que o dedo esteja “vivo”, ou seja, que esteja na mão do utilizador.

Sebastien Taveau, da Validity Sensors, alegou ainda numa entrevista ao site Mashable que a Apple não está a inovar com esta tecnologia, e ao torna-la utilizável para toda a gente.

A Apple apenas utilizou uma tecnologia que já existia há algum tempo. A única diferença foi a de a terem tornado fixe.

 

apple-iphone-5s-touchid-640x360