António vs António, PS vs PS

Primárias PSEsta é a última semana de campanha para as primeiras eleições diretas do Partido Socialista. Não sendo o primeiro partido a realizar tal tipo de eleições (lembremos a promiscuidade do Livre), é o primeiro partido a fazê-lo com uma abrangência nacional e a trazê-las para a agenda mediática e política do país, com campanha, debates televisivos e jantares comícios. Talvez porque tem dois adversários à altura, talvez porque as lutas pelo poder no Partido Socialista saíram dos sótãos, talvez… Mas quem está a aguentar a maior pressão é António José Seguro.

O homem que nasceu em Penamacor, que é eleito por Braga, militante na Guarda, que vive nas Laranjeiras em Lisboa e aos fins de semana com a família nas Caldas da Rainha, cedo sonhou em chegar longe na política. Ainda na adolescência chegou a pensar ser padre missionário em África. “Julgo que sempre houve em mim uma vontade de servir, e essa pode ter sido a sua primeira expressão”, justificou Seguro numa entrevista em 2010 à revista “Única” do Expresso. Foi no longínquo ano de 1985 que conheceu Álvaro Beleza, numa reunião do Movimento de Apoio Soares à Presidência (MASP). Bastou o encontro em Coimbra e a viagem até ao Porto para o atual membro da direção de Seguro ficar com certezas: “Este tipo é um político”. Mas porquê? “Tinha a cabeça mais organizada, era muito simpático, parecia mais velho, mais formal. Tinha a ideia que seria líder do PS. De todos nós, foi sempre o que levava mais a sério a política, até na maneira de vestir”. Começaria aqui a travessia de Seguro até chegar à cadeira no Largo do Rato.

E como vai ser no próximo Domingo? Será Seguro o próximo candidato do Partido Socialista às eleições legislativas?