Imagine ver uma cor… Agora multiplique por 100.

Concetta-AnticoÉ quase como estarmos a descrever a tempestade perfeita. Uma artista italiana sofreu uma mutação genética em ambos os cromossomas X que lhe permite ter mais um cone de receção visual de cores. Esta condição, chamada de tetracromata, julga-se afetar apenas 1% da população mundial. A parte espetacular é que afetou uma artista impressionista italiana, Concetta Antico. O cérebro desta mulher, que trabalha com cores, é mostrar aos outros o quão espetaculares a cor podem ser.

A genética fala mais alto do que as capacidades ou vontades humanas e, fruto da mutação que permite a Antico ver mais cores, a sua filha de sete anos é daltónica. Os investigadores que acompanham esta família dizem que as duas situações estão relacionadas com a mesma mutação nos cromossomas X. Antico quer agora abrir uma escola de arte para daltónicos e criar uma plataforma online que ajude as pessoas a perceber se são tetracomatas ou não.

Esta é a prova mais que provada que a mãe natureza também é capaz de extremos… do 8 e do 80.