Consumo de automóveis aumenta 35%

Esta é uma realidade que está a ser liderada pelos países que foram financeiramente resgatados que, depois de anos de resgate em que os índices de confiança dos consumidores andou pelas ruas da amargura estão agora a aperceber-se que a realidade não é tão negra como a pintaram e, afinal podem renovar alguns dos seus equipamentos, automóveis incluídos. Portugal é mesmo o país que lidera este ranking (seremos os mais permeáveis às notícias catastrofistas?) com o registo de 120 mil novas matrículas desde janeiro deste ano.

No total, na União Europeia, foram registadas 1,07 milhões de novas matrículas contra um milhão de matrículas formalizadas em igual período do ano passado, um aumento de 6,5%. As vendas dos dez primeiros meses do ano ascenderam a 10,6 milhões de carros novos, um crescimento de 6,1%. Em sentido contrário, com as vendas a cair estiveram mercados como a Bélgica, Dinamarca ou França. Neste caso, venderam-se em Outubro menos 3,8% de carros, apesar do mercado manter uma tendência positiva nos primeiros dez meses do ano, estando a crescer 1,4%.

Afinal, depois da crise, ainda pensamos todos muito nos nossos carros e naquilo que representam em contextos sociais, certo?