Dragonfly pretende substituir o seu smartphone, tablet e portátil

O Dragonfly Futurefon tem capacidade para fazer e receber chamadas, um ecrã tátil generoso, um teclado físico e pode correr Android e Windows, dependendo do que o utilizador pretender a qualquer momento, explica o BGR.

Slingshot, um dos componentes do Futurefon, pode ser retirado do conjunto para funcionar como phablet. O Slingshot pode ser independente, tem um ecrã de sete polegadas e funciona com o Windows de base, mas o utilizador pode alternar para Android a qualquer momento. Há ainda uma versão do aparelho que corre apenas o Android, quer em modo phablet, quer no conjunto.


No global, o dispositivo é composto por dois ecrãs Super AMOLED de 7”, com resolução de 2560×1440 pixéis (que funcionam juntos num ecrã de 12 polegadas com resolução de 5120×1440), processador multi-core para o Slingshot e multi-core x86 para a base, 4 GB de RAM para o Slingshot e 4 GB para a base e 128 GB de espaço em disco para cada um dos componentes. Há ainda duas ranhuras para cartões SD, duas antenas LTE e duas câmaras frontais e traseiras.

O equipamento vai custar 300 dólares na versão Android e 400 dólares na versão WinDroid. Espera-se que chegue ao mercado no entre março e abril do próximo ano.