José Sócrates detido para audições de instrução criminal.

José Sócrates, ex primeiro ministro e ex secretário geral do Partido Socialista foi detido na passada sexta feira, no âmbito da investigação aberta pelo Departamento Central de Investigação e Acção Penal (DCIAP), há cerca de um ano, quando o motorista do político, João Perna foi apanhado a falar sobre um esquema de entrega de dinheiro vivo que permitiria a Sócrates a vida de estudante no centro da capital francesa.

Numa complexa sucessão de movimentações bancárias, o dinheiro que Sócrates detinha (não se sabe qual a origem dele, mas os investigadores suspeitam que terá sido fruto de luvas face aos indícios de branqueamento de capitais recolhidos) e que era transaccionado pelo seu amigo de infância e empresário Carlos Santos Silva, passaria através de offshores para a conta do representante da Octapharma, que o entregaria a Sócrates para pagar uma falsa avença, inventada apenas para branquear o dinheiro. São estes percursos que o juís de instrução criminal está a tentar perceber para avaliar da licitude ou ilicitude das ações e a sua instrução como crime.

No entanto, deverá ser separado o político do eventual criminoso quando se fazem aceções sobre o legado que Sócrates deixou ao país.