O que se poderá esperar do 5G

É certo que o 4G não vai poder suportar eternamente o crescimento de dados e que, se tivermos como horizonte 2020 estamos a olhar para um cenário que em 90% da população mundial estará ligada à internet. Por outro lado assistimos também a uma cada vez maior variedade de tecnologias que são suportadas pelos devices móveis e pelas redes sociais, nomeadamente o Twitter e o Facebook. Isto faz com que a prontidão das redes móveis seja cada vez mais uma necessidade de várias populações.

E mesmo que o 4G ainda não esteja massificado, e haja já quem fale num passo intermédio com o 4,5G, Sara Mazur acha que não é demasiado cedo para falar sobre o tema. Até porque há muitos passos a completar antes do 5G chegar ao mercado. O estabelecimento de um standard global é um dos temas mais relevantes, mas é necessário também haver acordo para a libertação do espectro, e para isso há duas conferências importantes marcadas para 2016 e 2019 que serão decisivas nesta área.

Estamos cada vez mais perto uns dos outros e mais distantes uns dos outros… E o paradoxo adensa-se.