Pode ter sido descoberto o vírus da estupidez…

Um grupo de cientistas da Johns Hopkins Medical School fez uma descoberta interessante, ainda que por agora se mantenha apenas circunscrita ao universo de ratos de laboratório. Aquele grupo de cientistas conseguiu relacionar, ainda que de forma indireta, o vírus ACTV-1 com reações mais lentas no domínio cognitivo-espacial dos ratinhos infetados com o vírus, sinais de estupidez. Ora este vírus pode ser encontrado em várias algas e outras plantas aquáticas e também na… garganta dos humanos.

O Homem convive ao longo da vida com milhões de micro-organismos, acredita-se que grande parte não está sequer identificada, nem tão pouco é conhecida a sua influência no organismo. Eles vivem connosco, muitos à nossa custa (comensais) ou são-nos úteis de alguma forma (mutualismo), mas a ciência ainda não compreende muito bem a total influência desta relação. Uma coisa já se sabe: o código genético humano de adultos saudáveis contém traços de vírus e bactérias com os quais vive. E as consequências funcionais desta mistura de genes, resultado da evolução natural, só agora começa a ser compreendida.

Todos os micro organismos com os quais convivemos no nosso dia a dia têm efeitos diretos na nossa biologia… Agora resta saber se esses efeitos são bons ou maus, pelo que ainda vamos ter que conhecer muitos destes estudos.