Portugal atravessa surto de legionella

Segundo informações do próprio ministro da Saúde, Paulo Macedo, tratar-se-ão de 180 casos de contágio confirmados e 4 mortes até ao final do dia ontem. A bactéria da Legionella, a doença dos legionários, é uma doença que provoca infeções na árvore respiratória dando origem a pneumonias de progressão, que afetam as vulnerabilidades de públicos geralmente acima dos 50 anos e com historial de doenças respiratórias graves.

Paulo Macedo disse ainda que já foram feitas análises a dezenas de edifícios, incluindo centros comerciais e hotéis, mas que até agora ainda não foi encontrada a fonte do surto de Legionella em três freguesias de Vila Franca de Xira. O ministro da Saúde não atualizou os números de casos e vítimas conhecidos esta tarde, mas disse que as autoridades estão à espera de mais casos nas próximas horas e dias. O ministro da Saúde deu ainda conta de que há quatro equipas do Ministério do Ambiente a trabalhar no terreno, tendo sido decidida a suspensão do funcionamento das principais torres de refrigeração naquela área, tentando assim “suspender potenciais focos de doença” e “identificar a origem da doença”. A EPAL informou o ministro que a água do município tinha sido alvo de análises à Legionella na semana passada e os resultados foram negativos.

Este surto de legionella foi já classificado como um dos maiores a nível europeu e mundial e em Portugal, para já, afeta apenas três freguesias do concelho de Vila Franca de Xira: Vialonga, Forte da Casa e Póvoa de Santa Iria.