Fato ou guayabera?

Este parece ter sido o assunto mais importante da cimeira Ibero Americana já que os anfitriões mexicanos decidiram presentear os chefes de estado e de governo com a tradicional camisa mexicana, a guayabera, feita de linho e capaz de tornar as longas reuniões feitas em calor tropical mais suportáveis para os seus participantes.

Apenas dois líderes preferiram manter o fato, nomeadamente os presidentes de Uruguai, José Mujica, Otto Pérez Molina, da Guatemala e Horacio Cartes, governante do Paraguai, que optou por uma gravata amarela com fato escuro. Outros arranjaram maneiras criativas de participar como Michelle Bachelet, presidente do Chile, que usou um vestido e casaco de cor bege. Já Mariano Rajoy ficou divido entre abraçar a tendência ou vestir-se como habitualmente, aparecendo na parte da manhã com fato e na parte da tarde envergando a guayabera. Aparentemente, o primeiro-ministro espanhol resistiu até ao fim, mas o seu chefe de gabinete lá lhe explicou que a maior parte dos líderes alinhava no uso da camisa tradicional.

E as questões de cooperação transfronteiriça? E as ações business-oriented? Na falta de agenda damos-lhes camisas? Ou o jornalismo está pelas ruas da amargura?